Left Right

As 10 leis do Kenpo

jul 12, 2010 | Sensei Helio Greca | Artigos | No Comments

As 10 Leis do Kenpo
A melhor forma de colocar em prática as 10 Leis do Kenpo é pensar nelas como chaves que podem abrir níveis mais altos de conhecimento. É importante lembrar que nada esta escrito em pedra, dado que sempre existem exceções em cada regra.
1 – Círculo e Linha
A primeira lei do Kenpo ensina que quando seu oponente ataca avançando em linha reta, você deve usar seus pés e mover o corpo ao longo de uma trajetória circular, movendo seus braços circularmente para repelir a força do atacante. Quando seu oponente o ataca de forma circular, você deve responder rapidamente com um ataque linear dentro da área do circulo definido pelo ataque do oponente.
2 – Primeiro Golpe
Este princípio tem diversos significados. O Primeiro deles mostra que o Kenpo é principalmente uma arte de golpes traumáticos. “80% mãos e 20% pés” é a forma clássica, mas você pode alterar as técnicas de acordo com as circunstâncias do seu próprio corpo ou forma física.
O segundo significado é que se o confronto for inevitável você não deve esperar que o agressor ataque primeiro. Você deve atacá-lo com os pés, punhos, cotovelos, joelhos, etc.. Você tem de bater duramente no atacante e bater continuamente até que ele seja derrotado.
O programa do Kenpo inclui também técnicas de agarramento (grappling) e de projeções (throwing), mas estudos mostraram que elas são usadas em menos de 25% dos casos registrados de agressão. Além disso algumas vezes são ineficazes contra múltiplos atacantes. O Grappling tem 4 vezes mais força e energia do que os golpes traumáticos, mas no Kenpo ele é considerado um último recurso quando o seu oponente passar suas primeiras e segundas linhas de defesa (a das mãos e dos pés, respectivamente).
3 – Golpes Múltiplos
O Kenpo é diferente de muitos estilos de artes marciais pois ele ensina a golpear primeiro e a golpear fluidamente numa rápida sucessão – alto, baixo, direto, e circular. Quando se desencadeia uma sucessão de golpes rápidos, torna-se difícil utilizar o “Kiai” (grito) simultaneamente com cada golpe. Portanto você deve abster-se de gritar a cada golpe. Na realidade, fazer isso significa consumir energia em excesso. Gritar é bom para intimidar o oponente e colocá-lo em desvantagem emocional.
O seu primeiro e segundo golpe devem ser aplicados para atordoar, distrair, e retardar seu oponente. Seu terceiro e se necessário, quarto golpes são os golpes de nocaute. Recorde a máxima do Kenpo: “Primeiro ajuste seu oponente, depois coloque-o fora de combate”.
4 – Objetivos
Nunca ninguém quebrou os nós dos dedos por golpear as têmporas do atacante, nunca ninguém fraturou os pés por chutar a virilha de alguém e ninguém feriu na faca da mão por golpear a garganta do atacante. No Japão, o Makiwara é usado para trabalhar as mãos, na Tailândia, os lutadores de Muay-Tai endurecem a pele chutando bananeiras. O Kenpo é diferente! O Kenpo ensina a técnica da menor resistência e da menor dor. Mais precisamente tendo como alvos as têmporas, os olhos, nariz, pescoço, costelas flutuantes, plexo solar, virilha e genitais. São parte duras do nosso corpo golpeando partes macias do corpo do oponente para produzir maior dano com menor esforço.
5 – Chutes
O Kenpo ensina que os chutes baixos são baseados na lógica. Um chute semi-circular (roundhouse) ou um giratório (spinning reverse crescent) na altura da cabeça podem ser rápidos e imprevisíveis, mas estes movimentos levam muito tempo para serem executados porque as pernas têm um longo caminho a percorrer. Além disso eles expõem a sua virilha aos contra-golpes do atacante. Chutes altos requerem equilíbrio e concentração superiores. Você deve chutar alto no treino e baixo para defesa pessoal.
6 – Não Bloqueio
O Kenpo enfatiza a economia de movimentos e a economia de tempo. O princípio do não bloqueio ensina que para evitar ser golpeado por um soco ou por um chute, você deve movimentar o seu corpo para fora do caminho do ataque. A defesa mais avançada ensinada nas artes marciais, foi expressa em um ditado Zen:” Evitar em vez de desviar, desviar em vez de bloquear, bloquear em vez de golpear, golpear em vez de magoar, magoar em vez de mutilar, mutilar em vez de matar, porque para todos a vida é preciosa”.
Estrategicamente, um bloqueio é um movimento desperdiçado porque não evita que o oponente volte a atacar com os membros livres. É melhor manter-se afastado do seu alcance e simultaneamente contra-atacá-lo. No entanto esta forma de combater está reservada aos faixas marrom e superiores, porque requer um elevado nível de habilidade para ser usada corretamente e uma quantidade significativa de experiência em combate para evitar a tendência de permitir a “colagem” dos pés ao chão durante os momentos mais tensos do confronto.
O princípio do não bloqueio não significa não bloquear todo e qualquer movimento na luta. Se você estiver num canto sem nenhuma saída e alguém o atacar, você terá que bloquear o seu ataque. É por isso que o Kenpo ensina diversos sistemas de bloqueio diferentes, que contudo, conduzem à mesma máxima:” o melhor bloqueio é o não bloqueio”.
7 – Ceder e Redirecionar
Ceder e redirecionar, estão bem representados pelo símbolo do Yin & Yang (macio e duro). Quando o seu oponente ataca duramente, você deve contra-atacar suavemente. Se o oponente for mais fraco que você ou os seus ataques suaves, você deve atacar duramente para terminar rápida e diretamente o confronto. Na maior parte dos sistemas de artes marciais, os bloqueios são extremamente duros e podem magoar não só o atacante, mas também o defensor. Apesar do Kenpo ensinar que um bloqueio é também um golpe o Kenpo ensina também a bloquear suavemente e a golpear duramente.
Redirecionar é também de importância suprema. Muitas artes marciais ensinam os seus praticantes a bloquear para baixo para parar chutes frontais, resultando em um forte golpe no peito do pé do atacante para parar seu chute. Tal impacto pode quebrar a mão ou o braço de quem estiver executando o bloqueio. O Kenpo ensina que é preferível redirecionar a perna atacante para fora do seu centro de equilíbrio antes de contra-atacar. Tal movimento de redirecionamento será usado para romper o equilíbrio do oponente e deixá-lo vulnerável.
8 – Mobilidade
A mobilidade será o princípio mais fácil de se compreender. Isto significa que um alvo em movimento é mais difícil de ser atingido do que um parado. Tão básico como isto soa, muitos artista marciais falham ao implementá-lo. O Kenpo ensina que há três tipos de lutadores: o estátua, que tem pouca mobilidade e não recua; o corredor, que tem de ser perseguido; e o que somente aguarda para contra-golpear. Se você se enquadra em uma destas descrições, é melhor ter cuidado pois sua movimentação é previsível e pode ser utilizada contra você. O lutador de Kenpo deve misturar os três tipos, não interessa de que forma, e manter-se sempre em movimento. Se a sua posição for correta e o seu movimento for bom, você pode ser capaz de se colocar numa posição relativamente superior ao seu oponente.
9 – Flexibilidade
A lei da flexibilidade é a lei da sobrevivência. O Kenpo é uma das únicas artes que se adaptam ao seu corpo, personalidade e espírito. Se você tiver 1,5 mts de altura, não faz sentido focar-se nos pontapés quando a sua força talvez seja mobilidade e rapidez. Se for uma mulher de 45Kg, faz pouco sentido utilizar agarramento em um assaltante de 100Kg. Os velhos mestres de Kenpo mostraram a sua sabedoria quando proclamaram que numa luta pela vida, você deve usar o que sabe melhor e esquecer o que não se aplicar ao momento.
Cada praticante tem diferentes atributos e pode fazê-los eficazes. Uma pessoa alta com pernas longas tem vantagem com os chutes, uma pessoa baixa tem vantagem com os punhos, uma pessoa pesada tem vantagem no agarramento. A lei da flexibilidade permite que todos desenvolvam o seu próprio repertório de técnicas no Kenpo.
10 – Espírito Guerreiro
O princípio final do Kenpo é composto por dois componentes essenciais: O Interno e o Externo. Um cão raivoso pode ser uma grande ameaça, mas só possui o componente exterior do espírito do guerreiro. No interior o animal não pensa. Para ser um guerreiro completo, você deve ser feroz por fora mas calmo e tranqüilo no seu interior.
Os guerreiros Samurais costumavam dizer que qualquer dia é um bom dia para morrer. Isto não quer dizer que eles desejassem a morte. Pelo contrário, seu objetivo era preservar a vida. Porem, eles descobriram que somente abraçando e aceitando a morte poderiam focar tudo no âmbito físico para derrotar o inimigo.
Os seus Kiais (gritos), expressões faciais, posições, as posições de guarda devem ser trabalhadas todas em uníssono. Seguindo o princípio do Yin e Yang, você deve ser duro pelo lado exterior e suave pelo lado interno. Quando usado desta forma, o espírito guerreiro pode ser mais importante que a habilidade física.

Comments are closed.